quinta-feira, 15 de abril de 2010

Desejo sem fim (part 2)


-O Sr. Luca pediu que lhe transmitisse o seu pedido de desculpas,mas ele numa reunião em seu trabalho.Solicitou-me que levasse a senhorita até ele.
Gia engoliu em seco.Levá-lá até ele.
Como um pacote.
Algo disponível.Sim,aquilo a definia bem.Acho que não vou.Mas o poder de atração de Luca era forte,assim como seu medo de que uma cena dramática pudesse precipitar o final do relacionamento.
-Vou pegar meu casaco - disse ela.
O trânsito estava um caos e o tempo desolador para o mês de abril.O cabelo de Gia ficou todo despenteado por causa do vento quando o porteiro lhe abriu a porta de carro.
O percusso até a sua sala se deu sem nenhum comentario,já no elevador espelhado,ela pode passar uma escova nos cabelos e se recompor.As portas do elevador se abriram silenciosamente e ela pode ouvir o som da voz dele vindo da sala.Uma voz grave,suave e perigosa e sexy.
Ele estava ao telefone,e então depois de uns cinco minutos que ele pareceu ter dado conta da sua presença,desviando o olhar do documento que estava lendo.Olhou-a de cima a baixo por um lomgo momento,sem pressa.
Seus olhos negros brilharam e ele sorriu lentamente,passando a ponta da língua sobre os lábios como alguém faminto que havia acabado de ver a sua refeição chegar.
-Gia - Sussurrou ele.
-Olá,Luca.
-Perdoa -me por não ter ido pega-lá pessoalmente,mas eu tive que tratar de alguns necócios.
-Você poderia ter me telefonado.
Houve um grande silêncio.
-É verdade - Concordou ele,sentindo o sangue latejar em sua têmpora - Mas esqueça isso,agora você está aqui comigo.
-É sim. Vamos esquecer isso.
-Ou... Você poderia vir aqui e me cumprimentar direito.
Ela deixou sua bolsa escorregar até o chão,caminhou até ele e baixou o rosto até seu lábios roçarem levemente os de Luca.Um beijo poderia consertar tudo,pensou ela.
-Que gostoso - Sussurrou ele.
Ela deixou os dedos acariciarem as suas faces,deslizando pela sua pele luminosa como se estivesse medindo os relevos até alcançar seu maxilar.
-Você não fez a barba hoje - Sussurrou ela.
-O que você acha? - Provocou ele. - Diziam que homens com barba que são os verdadeiros.Quer que eu lhe prove o que isso quer dizer?
-Sim - Prove-me.
-Não acha melhor em outro lugar? ou você não quer?
-Não - disse ela - Pode se aqui.Não era isso o que ela queria dizer,por que ela estava se sentindo um objeto sexual.
Mas o prazer falou mas alto.
Gia tirou o vestido nim único e lento movimento e o jogou sobre a mesa,em meio aos papéis,provocando-o.
-Espero que isso não interfira no seu trabalho - Disse ela.
-Gia - disse ele arfante.
-Sim.Luca?
-Vire-se - disse ele com a voz rouca - vire-se e deixe que meus olhos se deleitem com a visão do seu corpo.
Ela se virou lentamente num movimento sensual.
Ouviu a risada de Luca a um pequeno gemido ao ve seu corpo.Luca a agarrou,erguendo as sombrancelhas escuras,e emtão a levou deliberadamente até o rosto,fechando os olhos se saboreando pelo seu cheiro.
A cabeça de Gia estava pousada sobre o coração palpitante dele.E ali mesmo rolou,no chão do seu escritório.
Assim que conquistava uma mulher,ele deseja seguir adiante,como havia feito durante a sua vida atribulada.
-Quer ir jantar? disse ele.
-Não sei,acho que vou embora.
-Então está bem - disse ele suavemente - pode ser nossa última oportunidade de jantamos juntos por um bom tempo.
Gia congelou.
-Do que é que está falando?
-Eu não lhe disse? - perguntou ele negligentemente.
-Tenho uma reserva num voo para nova York,amanhã.

2 comentários:

  1. ta pegando fofo isso aqui heim,quero logo a continuaçao por favoooor.te amoo amigaaa

    ResponderExcluir